logo

Histórias que Guardamos

 

É sabido nos meios literários que o escritor Euclydes da Cunha (1866-1909), autor de “Os Sertões”, se gabava, entre amigos, por não tratar de mulheres nos seus escritos.

Nascida no sertão da Bahia, numa área muito próxima à região onde teve lugar a Guerra de Canudos, de que trata a obra-prima de Euclydes, a fotógrafa Neyde Lantyer se dedica ao tema da memória, buscando, através do seu trabalho artístico, lançar luzes sobre o universo feminino, tornado invisível nas narrativas oficiais.

No bate-papo e projeção de imagens com que dá início às “Conversas sobre Fotografia”, no Teatro Munganga, em Amsterdã, a artista apresenta um esboço do trabalho que vem realizando no campo da fotografia de família, traçando um paralelo entre a atmosfera delicada e pitoresca do acervo de fotografias de sua família materna e a construção poética fortemente dramática e de grande apelo imagético do sertão ‘euclydiano’.

A artista propõe uma reflexão sobre a chegada da fotografia naquela região, então longínqua do país, se utilizando dos álbuns de fotografias de sua família materna, que se iniciaram na mesma época em que ocorreu a guerra em questão, no final do século XIX.

O programa “Conversas sobre Fotografia” é uma parceria entre a Casa Munganga e a fotógrafa Neyde Lantyer, com o objetivo de debater informalmente a fotografia com artistas locais e visitantes. Neyde Lantyer é artista visual, produtora cultural e pesquisadora independente em fotografia. Vive e trabalha em Amsterdã-Holanda e Salvador-Brasil.

 

Lectures:

~ Histórias que guardamos ~ Escola de Belas Artes da Ufba

Histórias que Guardamos – Talk at Teatro Munganga, Amsterdam

 

Comments are closed.